A delícia da alimentação em família está em “Sabor sem glúten”

Além de uma necessidade biológica, a alimentação é uma forma de reunir pessoas queridas, celebrar momentos especiais e fazer algo prazeroso – seja você a pessoa que cozinha ou a que come. É, também, um jeito de demonstrar e receber amor, mas, às vezes, pode não ser tão simples.

Imagine a seguinte situação: você adora cozinhar para a família, mas, quando um de seus filhos completa 2 anos, você descobre que ele tem um tipo de alergia a glúten. Mas, afinal, quanto essa alergia pode atrapalhar a rotina? Nós consumimos muito glúten?

Bem, o glúten é uma substância presente em grãos de trigo, cevada e centeio. Dessa forma, está em diversos alimentos como pães, massas de pizza e torta, bolos e até mesmo na cerveja. Isso quer dizer que, no café da manhã, você não deve comer o pão francês, de sal ou de fôrma, e nada de torradas; para o almoço, uma torta com salada não é uma opção; na sexta-feira à noite, a pizza e a cerveja com os amigos e a família com certeza serão um problema.

Se você tem alergia a glúten ou é celíaco, já passou por todas essas situações. Ter uma restrição alimentar é muito difícil, portanto, quando descobrimos algo assim, precisamos buscar a melhor forma de conviver com a doença. Para Denise Godinho, lidar com a alergia de seu filho, João Victor, era uma missão que consistia em experimentos dentro de uma cozinha 100% livre de glúten.

Foi a partir daí que nasceu o Sabor sem glúten, livro com mais de 100 receitas sem a substância, lançado pela Editora Alaúde em 2014 e que, agora, ganha nova edição, atualizada e ampliada. Nele, Denise apresenta suas descobertas ao longo de anos convivendo com a alergia do filho, entre elas, algumas misturas especiais de farinhas, capazes de substituir a farinha de trigo comum e ainda manter a consistência das massas no preparo.

Além disso, todas as receitas têm aquele jeito de comida de casa, como essas aqui:

Rosca de canela
Bolo de limão
Empadinha de frango
Massa para pizza

O Sabor sem glúten é, do início ao fim, um abraço carinhoso de mãe. Tem o capricho dos detalhes em cada prato (como vemos pelas fotos), receitas com passo a passo muito bem descrito e uma série de dicas que só uma mãe poderia dar, tais como:

“Não se esqueça de pincelar bem [a torta] com gema para ficar douradinha” (para uma receita de torta salgada)

“Frite 3 ou 4 unidades de cada vez para não diminuir a temperatura do óleo e a coxinha não encharcar”

“Experimente colocar nozes ou amêndoas. O crocante das frutas secas combina superbem com a maciez da massa [de rosquinha de canela]”

Para os alérgicos, uma forma de conviver com a doença e manter a felicidade no prato, em todas as refeições; para os não alérgicos, uma nova forma de comer; para todos, comida caseira, feita a partir de receitas fáceis, com toque de mãe, amor e muito, muito sabor.

(*) Bárbara Bressanin é gerente de marketing da Editora Alaúde.