3 dicas para criar uma receita deliciosa

Nossa querida Anna Jones, autora de O jeito moderno de comer, compartilhou com a gente como é seu processo de criação para conseguir uma combinação de sabores e texturas ao mesmo tempo saborosas, reconfortantes e nutritivas. Confira: 

Quando escrevo uma receita ou junto alguma coisa para o jantar, sempre tenho em mente três coisas que determinam o que vou cozinhar: Que gosto vai ter? Como posso deixar o sabor mais interessante agregando novas texturas? E o que posso fazer para deixar o prato com um lindo visual?

O gosto, para mim, tem a ver com tirar o máximo do ingrediente que estou cozinhando. Às vezes, isso significa salpicar um pouco de sal marinho e nada mais. Outras vezes implica equilibrar ervas, especiarias, o doce e o ácido, ressaltando o caráter natural de um pedaço de abóbora caramelado com especiarias picantes ou realçando um molho de tomate com um toque de vinagre.

As texturas são muitas vezes esquecidas na culinária, mas para mim são o segredo de um bom prato, em especial um prato vegetariano. É assim que as crianças reagem ao alimento – estamos sintonizados tanto na textura quanto no sabor. Sementes tostadas em uma salada, pão regado a azeite acompanhando uma tigela de sopa, a crocância de alguns rabanetes picantes dentro de um taco macio. É a textura, tanto quanto o sabor, que atinge as papilas gustativas e diz ao cérebro que o alimento está delicioso e ajuda você a sentir-se satisfeito.

A pequena parte de beleza do prato vem do meu trabalho como produtora culinária. Durante os últimos dez anos, tenho feito o alimento saltar do prato: um fio de chocolate que escorre de um fondant, as gotas de água sobre uma folha de alface recém-lavada da mais fresca e crocante salada, o queijo derretido e uma borda perfeita de crumble ao redor de uma torta. Sei por experiência que, quando cozinho para amigos, a mais simples salada colocada no prato com um pouquinho de capricho, ou uma tigela de macarrão finalizado com algumas ervas brilhantes e um toque de pimenta, significa que começamos a comer antes mesmo de pegar o garfo. Mas, mesmo quando estou preparando o café da manhã ou um lanche apressado, reservo alguns segundos extras para dar ao alimento que cozinhei a melhor aparência que ele pode ter.

E, para terminar, uma dica essencial: o toque final. Quase sempre decoro um prato com uma colherada de algum belo complemento. Um toque de iogurte para finalizar um dahl apimentado, um fio de azeite aromatizado com ervas em uma tigela de chili, algumas avelãs tostadas espalhadas sobre uma tigela de sopa. Para mim, é esse toque que diferencia uma boa refeição de um grande prato. Quase sempre a etapa mais fácil e rápida de se fazer, esses detalhes geram camadas de sabor, acrescentam colorido e criam contrastes entre o quente e o frio. Fazem o prato parecer mais elaborado, dão um último incremento de sabor e fazem você parecer um cozinheiro excepcional sem na verdade ter feito nada demais.

E você? O que você faz para incrementar a sua alimentação no dia a dia? Compartilhe com a gente nos comentários ou nas redes sociais da @editoraalaude.